A rentabilidade em Renda Fixa

3
39
Pilha de dinheiro
- Anúncios -

Nos investimentos, existem diferentes modelos de rentabilidade que variam de ativo para ativo. Mas, no final, o conceito é o mesmo: é o rendimento obtido.

Dessa maneira, o propósito desse artigo é falar sobre a rentabilidade em investimentos de Renda Fixa.

Em Renda Fixa, os investimentos funcionam como um empréstimo do seu dinheiro ao emissor dos ativos, como bancos ou o governo, e, então, receber uma compensação pelo seu dinheiro emprestado.

É fácil estimar a rentabilidade dos investimentos em renda fixa porque o retorno obtido com o investimento é determinado por taxas de juros que incidem sobre o capital aplicado.

Em suma, a rentabilidade em Renda Fixa pode ser por meio de taxas de juros pré-fixadas (Tesouro Direto Prefixado, CDB, etc.). pós-fixadas (Tesouro Direto Selic, CDB, LCI, LCA, etc.) e híbridas (Tesouro Direto IPCA+, CDB, Debêntures, CRI, CRA, etc.).

Taxa de juros pré-fixada:

O investidor terá garantido no momento da aplicação o valor da rentabilidade em cima da quantia investida. Assim sendo, o retorno total da aplicação é definido com uma porcentagem que não muda, pois, a taxa de juros que condiciona a remuneração da aplicação é fixada e invariável durante todo o período de duração da aplicação.

Taxa de juros pós-fixada:

O investidor NÃO terá no momento da aplicação o valor da rentabilidade em cima da quantia investida. O retorno total da aplicação é definido por uma taxa percentual que, apesar de CONSTANTE, é VARIÁVEL. Pois as taxas de juros que condicionam a remuneração da aplicação serão vinculadas a índices que variam conforme o cenário econômico. Os mais utilizados são os CDIs (Certificado de Depósitos Interbancários), a Selic, o IPCA e, em alguns casos, o IGPM. Caso haja mudanças nesses índices, a taxa de juros pós-fixada que determina a remuneração do investimento também irá mudar da mesma forma. Desse modo, as previsões de mercado são analisadas para estimar os valores da remuneração final desses títulos. 

- Anúncios -

Taxa de juros híbrida:

O investidor terá no momento da aplicação uma taxa de juros fixa e uma taxa de juros variável na determinação do rendimento do valor aplicado. Logo, este modelo é a junção dos dois anteriores.

O que define as taxas de juros que incidem sobre os investimentos?

Na economia, existe uma taxa de referência para todos os contratos de crédito, que é taxa básica de juros. No Brasil, ela é chamada Selic, e é o COPOM quem determina quanto será essa taxa. A Selic, portanto, é utilizada como indexador em parte dos títulos do Tesouro Direto.

Da mesma fora que a Selic tem como uma de suas funções determinar o custo de captação do Governo… Temos, na esfera bancária, o CDI, que geralmente tem valores muito próximos à Selic. O CDI é utilizado como indexador em CDBs e outros títulos de renda fixa.

Há também o índice IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede a variação dos preços do mercado para o consumidor. Ou seja, mede a inflação da economia brasileira. Alguns títulos do tesouro de longo prazo são indexados a ele. Essa é uma forma de preservar o poder de compra do dinheiro. (Mas atenção: a sua inflação pessoal não necessariamente é a mesma do IPCA)

E um outro fator fundamental na compreensão da rentabilidade através do Juros, é entender e diferenciar como eles atuam sobre o seu dinheiro. Por isso, te convido a acessar também nosso artigo Juros Simples x Juros Compostos.

E agora que você começou a entender melhor como funciona a rentabilidade em renda fixa, veja também como funciona na renda variável.

- Anúncios -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui