Entenda como funciona a Liquidez de seus investimentos

0
333
dinheiro preso em uma gaiola
- Anúncios -

Entender a Liquidez dos investimentos é muito importante para a tomada de decisão em qual ativo investir e para a formulação de um bom planejamento.

Podemos falar que é a velocidade e a facilidade com a qual qualquer tipo de investimento pode ser convertido em dinheiro. E, pensando nisso, aqueles com alta liquidez serão mais fáceis e mais rapidamente convertidos, ao passo que os de baixa liquidez funcionarão de forma inversa.

Respectivamente, a velocidade é o tempo de conversão do ativo em capital, enquanto a facilidade é possibilidade da conversão desse ativo.

Liquidez = Velocidade + Facilidade

Ao realizar um investimento comprando um ativo (ações, títulos de dívida como tesouro direto ou CDBs, apartamento para alugar, fundos imobiliários, etc), você deterá a posse desse ativo. Ao decidir converter esse investimento em dinheiro, é preciso que essa posse seja comprada por alguém.

Quanto maior a quantidade de investidores interessados nesse ativo, maior será a facilidade com que ele será vendido e, portanto, convertido em dinheiro, sem ter perda de valor.

Ao ser vendido, existe um tempo de tramitação entre o processo de vender o ativo e o de receber o valor em dinheiro.

Os tempos de conversão de ativos em dinheiro são descritos em códigos:

D + 0 = liquidez imediata, ou seja, dinheiro fica disponível a qualquer momento a partir da solicitação de venda ou resgate.

D + 1 = liquidez diária, ou seja, fica disponível no dia útil seguinte à solicitação de venda ou resgate.

D + 2 = liquidez após 2 dias úteis.

D + 30 = liquidez após 30 dias úteis.

Por fim, há aqueles “sem liquidez”, que é quando, contratualmente, o ativo só pode ser convertido em dinheiro na data de vencimento, como acontece com alguns títulos de renda fixa.

Para receber mais informações atualizadas sobre o mercado de veículos, confira o conteúdo do site: Consultarcarros.com.br

- Anúncios -

Liquidez x Rentabilidade

No processo de tomada de decisão em relação a investimentos, avaliar a liquidez é um dos pontos chave. Pois é preciso entender também que existe uma relação entre ela e rentabilidade.

Afinal, se dois investimentos tivessem a mesma rentabilidade e diferentes liquidezes, o investidor escolheria o de maior liquidez, certo? Isso, pois, a rentabilidade sendo a mesma, a melhor escolha seria o investimento pelo qual é mais facilmente convertido em dinheiro.

É importante ficar claro que essa relação se dá de forma inversamente proporcional. Isto é, quanto maior a liquidez, geralmente menor é a rentabilidade. E vice-versa: quanto menor a liquidez, espera-se maior a rentabilidade.

Ou seja: em um investimento de alta liquidez, você abre mão de rentabilidade para ter uma maior facilidade de convertê-lo em dinheiro.

Inversamente, em um investimento de baixa liquidez, você está ganha maior rentabilidade, mas em contrapartida se compromete a não resgatar o dinheiro antes do vencimento, por exemplo.

Cada tipo de investimento tem a sua liquidez:

A poupança bancária permite que você deposite um valor em dinheiro que renderá uma pequena quantia ao longo dos meses. Sem embargo, o dinheiro pode ser retirado facilmente. Dessa forma, na poupança temos um investimento de alta liquidez e baixa rentabilidade. A poupança é D + 0.

Ao comprar ações, você se torna um acionista da empresa da qual adquiriu ações e espera compartilhar dos lucros desta empresa. Pode ser que surja a necessidade de vender esses ativos, seja pela valorização destas, seja para utilizar o capital em outro investimento, ou pela necessidade do dinheiro. Para converter ações em dinheiro é preciso que alguém compre estas ações e, se estiverem valorizadas, ótimo! No entanto, caso seja um momento conturbado da economia ou da própria empresa, é possível que não se ache compradores querendo pagar pelo preço que você gostaria de vender, portanto, corre-se o risco de liquidez. Após a venda de ações, o processo de tramitação tem um prazo de dois dias úteis (D+2), ou seja, o dinheiro cairá na conta após este período.

Ao aplicar na aquisição de títulos CDB, você realiza um contrato que, dentre várias considerações, há o prazo pelo qual o dinheiro ficará sob posse do banco emissor. Portanto, a liquidez dos títulos CDBs é no vencimento do título. No contrato, também há as circunstâncias de caso você queira resgatar o dinheiro antes do prazo determinado, todavia, com alguma penalidade, ou seja, provavelmente resgatará menos do que aplicou. Mas lembre-se que essa perda só ocorrerá se decidir resgatar ANTES do prazo de vencimento. Na data do vencimento, o banco garante o resgate de todo o capital investido além dos rendimentos, cuja remuneração irá depender de cada CDB, em que cada um tem suas formas de remuneração, podendo ser semestralmente, anualmente ou apenas no vencimento. 

Afinal, em qual investir?

Em um investimento em que você ganha em liquidez e perde em rentabilidade ou, ao contrário, em um investimento em você perde em liquidez e ganha em rentabilidade?

A reposta é que depende.

A decisão sobre um investimento depende muito das necessidades do investidor, dos seus objetivos, de seu momento financeiro e momento de vida.

Para entender melhor esses e outros fatores que devem ser considerados na hora de se decidir entre investimentos, te convido a conhecer nosso E-book Análise de Investimentos para não Profissionais.

Veja também: Investimento em renda fixa: CDB

- Anúncios -
Lucas Souza é Empreendedor e Investidor há mais de 10 anos. Engenheiro eletricista pela USP, possui MBA em finanças pelo IBMEC e tem extensão em finanças University of Michigan. É o fundador da CIANO Escola de Finanças e Investimentos, Vice Presidente da Confederação Nacional de Jovens Empresários e também representa o Brasil na aliança Jovem Empreendedora do G20 pela CONAJE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui