Investimento em Renda Fixa – os mais comuns

2
56
Folhas de papel com os investimento em renda fixa mais comuns
- Anúncios -

Se interessou por investimento em Renda Fixa e agora quer saber quais são os principais títulos? Nesse artigo falaremos sobre um pouco sobre os tipos de investimento disponíveis e a característica de cada um desses títulos de Renda Fixa.

Antes de tudo: o que é Renda Fixa?

Muita gente acha que Investimento em Renda Fixa é sinônimo de investimento Seguro. Isso é parcialmente verdade, pois grande parte deles tem a garantia do FGC. Mas, na verdade, a definição de investimento em renda fixa é outra!

Renda Fixa é um investimento que estará atrelado a um título de dívida. Ou seja: ao investir nesses títulos, você estará emprestando dinheiro. E o “nome” do título é que te contará para quem você está emprestando.

E, como em qualquer empréstimo, temos que analisar para quem estaremos emprestando. Por isso, vamos agora conhecer os tipos de investimento em Renda Fixa e quem são as instituições por trás deles:

Tesouro Direto

O Tesouro Direto nada mais é que um título de dívida emitido pelo Governo Federal. Sendo assim, investir no tesouro funciona exatamente como um empréstimo de dinheiro ao governo. A garantia, nesse caso, é o próprio governo.

CDB – Certificados de Depósitos Bancários

Certificados de Depósitos Bancários, conhecidos como CDBs, são títulos de dívida emitidos por os bancos e vendidos ao público como forma de captação de recursos. Ou seja: aqui você está emprestando dinheiro aos bancos! (Parece que o jogo virou, não é mesmo?) Esses títulos contam com garantia do FGC, dentro dos termos do garantidor.

Letra de Câmbio

A Letra de Câmbio é um título de dívida utilizado por financeiras para captar recursos. Seu propósito é similar ao do CDB. No entanto, aqui você estará emprestando dinheiro a uma financeira ao invés de um Banco. As Letras de Câmbio também são garantidas pelo FGC.

- Anúncios -

Letras de Crédito – LCI e LCA

Letras de Crédito são títulos de dívida emitidos por bancos ou corretoras de valor para captar recursos que serão utilizados no financiamento de atividades específicas. Que podem ser no setor imobiliário, através das LCI – Letras de Crédito Imobiliário. Ou no setor agrícola, através das LCA – Letras de Crédito do Agronegócio. Essa modalidade de investimento também conta com a garantia do FGC, dentro dos termos do garantidor. 

Certificado de Recebíveis – CRI e CRA

Os certificados de recebíveis se assemelham às letras de crédito. Seu propósito é captar recursos par financiar atividades do setor imobiliário (CRI) e do agronegócio (CRA). No entanto há uma diferença fundamental: aqui, os certificados são emitidos pelas próprias empresas ao invés de bancos. Por isso, esses investimentos não contam com a garantia do FGC.

Debêntures

Debêntures são títulos de dívida emitidos por empresas. Ou seja: você estará emprestando dinheiro a elas. Essa modalidade de investimento também não conta com a garantia do FGC e, por isso, antes de decidir investir em qualquer Debênture, fique de olho no Rating da empresa.

Poupança

Por último, mas não menos importante, temos a poupança.

Apesar de não estar atrelada a nenhum título de dívida. E, portanto, não ser realmente um investimento em renda fixa… A remuneração desse investimento se comporta de forma semelhante: há uma taxa que é paga periodicamente sobre o capital que está ali disposto. E, por estar ligada a um banco, a Poupança também conta com a garantia do FGC.

Agora que já sabemos quem são as instituições por trás de cada título, está na hora de entendermos melhor como funcionam prazo e taxas desses empréstimos.

- Anúncios -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui